Queridos alunos e amigos...


A CRIATIVIDADE É UMA FORÇA QUE DORME DENTRO DA GENTE!


MAS, PODE SER ACORDADA DE VÁRIAS MANEIRAS


PORÉM, MOTIVAÇÃO E EXPERIMENTAÇÃO SÃO OS PRINCIPAIS INSTRUMENTOS PARA ESSE "ACORDAR"!

SEJAM BEM VINDOS!


PROFESSORA ROSANE SANTOS

quinta-feira, 31 de março de 2011

PARTE 3 - REVISÃO PARA O SIMULADO – 2º. ANO – EM - PROFESSORA ROSANE SANTOS


 REVISÃO PARA O SIMULADO
 PARTE 3
2O. ANO - EM

               VÍRUS

Os vírus são apenas moléculas de ácido nucléico (DNA ou RNA) envolvidas por uma cápsula protéica e, portanto, muito menores e mais simples do que as bactérias.
Os vírus são organismos acelulares que contêm um pequeno material genético (DNA ou RNA) e uma cápsula de proteínas para protegê-lo.
Os vírus são o assunto do momento. Desde a divulgação dos primeiros casos de gripe tipo A, em abril, de 2009 no México, a mídia vem veiculando permanentemente informações sobre a referida doença no Brasil e no mundo.  Portanto, é um tópico com grande possibilidade de aparecer em provas de vestibulares e do Enem.
Ao estudar o assunto o vestibulando deve primar por alguns pontos básicos:
- Os vírus são seres acelulares;
- Sofrem mutações;
- Reproduzem-se (somente dentro de uma célula viva à são parasitas intracelulares obrigatórios);
- Possuem apenas 1 tipo de ácido nucléico (há vírus de DNA e vírus de RNA).  No caso do vírus da gripe tipo A, temos um vírus de RNA.
- São constituídos por uma cápsula protéica (capsídeo) e um miolo de material genético.
- Reconhecem a célula a ser infectada através de interações entre proteínas do capsídeo e proteínas da membrana plasmática da célula a ser infectada

COMO SÃO OS VÍRUS

                Cilíndricos (TMV – Tabacco Mosaic Vírus), arredondados (vírus da gripe), poliédricos (adenovírus) e até  parecer um espermatozóide, com uma “cabeça” e uma “cauda”.      














Nos vírus o material genético pode ser o DNA ou o RNA, mas nunca os dois juntos. O DNA ou o RNA pode ser de fita simples ou de fita dupla. Em qualquer caso, o ácido nucléico sempre está envolvido por uma camada de proteína chamada capsídeo.

·  Ácido nucléico + Capsídeo = Vírion (partícula viral individual). Existe ainda, em alguns vírus, uma espécie de envelope ou cápsula dupla externa, de composição lipoprotéica, muitas vezes derivada da membrana plasmática das células infectadas. Essa cápsula também contém proteínas e glicoproteínas feitas pelo próprio vírus. Pode haver em alguns vírus, algumas poucas enzimas no interior do capsídeo.

·  Capsídio - é o envoltório do vírus, formado por proteínas. Além de proteger o ácido nucléico, o capsídio tem a capacidade de combinar-se quimicamente com substâncias presentes na superfície da célula. Alguns vírus podem apresentar lipídio, proveniente da membrana da célula onde se originaram.


·  Vírion - A partícula viral, quando fora da célula hospedeira, é chamada de vírion. Cada espécie de vírus apresenta vírions de formatos diferentes.


·  São parasitas obrigatórios, ou seja, precisam de uma célula hospedeira para se reproduzir. O vírus invade uma célula e assume o comando, fazendo com que ela trabalhe quase que exclusivamente para produzir novos vírus. A infecção viral geralmente causa profundas alterações no metabolismo celular, podendo levar à morte das células afetadas. Os vírus causam doenças em plantas e animais (incluindo o homem).
Fora da célula hospedeira, os vírus não manifestam nenhuma atividade vital e se houver alguma célula compatível à sua disposição, um único vírus é capaz de originar, em cerca de 20 minutos, centenas de novos vírus.
Até o momento, poucas drogas se mostraram eficazes em destruir os vírus sem causar sérios efeitos colaterais. A melhor maneira de combater as doenças virais é através de vacinas.

·  Especificidade viral - Um tipo de vírus ataca apenas determinados tipos de células, por que o vírus só consegue infectar a célula que tiver em sua membrana substâncias às quais ele possa se ligar.

Por exemplo: o vírus da poliomielite infecta apenas células nervosas, intestinais e da mucosa da garganta. O vírus da Rubéola já consegue infectar maior número de tecidos humanos. O vírus da gripe é bastante versátil e pode infectar diversos tipos de células humanas.

Reprodução

A reprodução envolve dois aspectos: a duplicação do material genético viral e a síntese das proteínas do capsídio. O vírus entra na célula hospedeira, inibe o funcionamento do material genético da célula infectada e passa a comandar as sínteses de proteína.

Bacteriófago

Esse vírus (Bacteriófago T4), se reproduz em certas linhagens de bactéria Escheirchia coli. Ao entrar em contato com a bactéria, adere à parede celular por meio de certas proteínas presentes nas fibras de sua cauda. Na cauda desse vírus, estão presentes também enzimas que são capazes de digerir e perfurar a parede da célula bacteriana. O DNA do bacteriófago é injetado no citoplasma celular.
Os genes do vírus são transcritos em moléculas de RNA e traduzidos em proteínas virais. Isso ocorre por que a célula não diferencia os genes do invasor de seus próprios genes. Em poucos minutos, a bactéria está totalmente controlada pelo bacteriófago. O passo seguinte será a produção de proteínas que constituirão as cabeças e caudas dos novos vírus. Depois, as cabeças e caudas se agregam ao DNA formando vírions completos.
Cerca de 30 minutos após a entrada de um único vírus, a célula já está repleta de partículas virais. Nesse momento, são produzidas enzimas que iniciam a destruição ou lise (do grego lysys, destruição) da parede bacteriana, que arrebenta e libera centenas de vírions maduros que podem reiniciar o ciclo.

Lise da célula bacteriana, liberando centenas de novos vírions


Doenças Causadas por Vírus
Os vírus podem causar doenças em plantas e animais. As principais doenças causadas por vírus que atingem o homem são:
Hidrofobia (Raiva): saliva introduzida pela mordida de animais infectados (o cão, por exemplo). Infecção: o vírus penetra pelo ferimento e instala-se no sistema nervoso. Controle: vacinação de animais domésticos e aplicação de soro e vacina em pessoas mordidas. Sintomas e características: febre, mal-estar, delírios, convulsões, paralisia dos músculos respiratórios (é doença mortal).
Hepatite Infecciosa: transmissão: gotículas de muco e saliva; contaminação fecal de água e objetos. Infecção: o vírus instala-se no fígado onde se multiplica, destruindo células. Controle: injeção de gamaglobulina em pessoas que entram em contato com o doente; saneamento, cuidados com alimentos ingeridos. Sintomas e características: febre, anorexia, náuseas, mal-estar, icterícia (pode ser fatal).
Caxumba: transmissão: contato direto; objetos contaminados; gotículas de saliva. Infecção: o vírus multiplica-se nas glândulas parótidas; eventualmente localiza-se em outros órgãos, como ovários e testículos. Controle: vacinação. Sintomas e características: parotidite (infecção das parótidas), com inchaço abaixo e em frente das orelhas (pode tornar a pessoa estéril se atingir os testículos ou os ovários).
Gripe: Existem centenas de variedades desse vírus, e todos portadores de RNA. A infecção começa quando o vírion adere à substâncias presentes na superfície das células (geralmente as que revestem as vias respiratórias). O vírus penetra por inteiro, diferindo-se do vírus bacteriófago que só injeta o material genético. No interior da célula já infectada, o capsídio é digerido por enzimas, liberando o RNA viral no citoplasma celular. O RNA é capaz de se duplicar, dando origem à inúmeras cópias dentro da célula hospedeira. A união de ácidos nucléicos e capsídios originam novos vírions que se libertam das células infectadas. Não há a morte da célula hospedeira, embora isso possa ocorrer. Transmissão: gotículas de secreção expelidas pelas vias respiratórias. Infecção: o vírus penetra pela boca ou pelo nariz, localizando-se nas vias respiratórias superiores. Controle: nenhum. Sintomas e características: febre, prostração, dores de cabeça e musculares, obstrução nasal e tosse.
Rubéola: transmissão: gotículas de muco e saliva; contato direto. Infecção: o vírus penetra pelas vias respiratórias e se dissemina através do sangue. Controle: aplicação de imunoglobulina (com efeito protetor discutível). Sintomas e características: febre, prostração, erupções cutâneas (em embriões provoca a morte ou deficiências congênitas).
Varíola: transmissão: gotículas de saliva; objetos contaminados e contato direto. Infecção: o vírus penetra pelas mucosas das vias respiratórias e dissemina-se através do sangue; finalmente, atinge a pele e as mucosas, causando lesões. Controle: vacinação. Sintomas e características: febre alta e erupções cutâneas (geralmente deixando cicatrizes na pele; pode ser fatal).
Sarampo: transmissão: contato direto e indireto com secreções nasofaríngeas da pessoa doente. Infecção: o vírus penetra pelas mucosas das vias respiratórias e dissemina-se através do sangue. Controle: vacinação. Sintomas e características: febre alta, tosse, vermelhidão por todo o corpo (pode ser fatal em crianças).
Febre Amarela: transmissão: Picada de mosquitos, entre os quais se destaca o Aedes aegypti. Infecção: o vírus penetra através da pele, dissemina-se pelo sangue e localiza-se no fígado, na medula óssea, no baço e em outros órgãos. Controle: vacinação e combate aos mosquitos transmissores. Sintomas e características: febre alta, náuseas, vômitos, calafrios, prostração e pele amarelada (pode ser fatal).
Poliomielite: transmissão: alimento e objetos contaminados; secreções respiratórias. Infecção: o vírus penetra pela boca, multiplica-se no intestino, dissemina-se pelo sangue e instala-se no sistema nervoso central, onde destrói os neurônios. Controle: vacinação. Sintomas e características: paralisia dos membros; em muitos casos ocorrem apenas febres baixas e indisposição, que logo desaparecem sem causar problemas (provoca deficiência física).

AIDS (Síndrome da Imuno-Deficiência Adquirida): Há certos retrovírus como o HIV (Human Immunodeficiency Virus) que ataca os linfócitos T do sangue e é o agente causador da AIDS. Transmissão: sangue, esperma e muco vaginal contaminados. Infecção: o vírus penetra no organismo através de relações sexuais, uso de agulhas de injeção contaminadas ou transfusões de sangue infectado; ataca o sistema imunológico. Controle: uso de preservativos (Camisinha-vénus) nas relações sexuais e de agulhas descartáveis ou esterilizadas; controle rigoroso, por parte dos bancos de sangue da qualidade do sangue doado; ainda não existem remédios ou vacinas eficazes contra a doença. Sintomas e características: febre intermitente, diarréia, emagrecimento rápido, inflamação dos gânglios linfáticos, doenças do aparelho respiratório, infecções variadas, câncer de pele (doença mortal em 100% dos casos).

Retrovírus: Seu material hereditário é o RNA e sua principal característica é a presença da enzima transcriptase reversa, capaz de produzir moléculas de DNA a partir do RNA. A membrana desse vírus se funde com a membrana da célula e o capsídio viral penetra no citoplasma celular. O RNA, então, produz uma molécula de DNA que irá penetrar no núcleo da célula, introduzir-se em um dos cromossomos do hospedeiro e recombinar-se com o DNA celular. Esse DNA viral integrado ao cromossomo celular é chamado de provírus, que irá produzir moléculas de RNA, originando centenas de vírions completos. Uma vez com os genes do provírus integrados aos da célula, esta irá produzir partículas virais durante toda a sua vida. Não leva a morte da célula hospedeira, mas esta poderá transmitir o provírus para suas células filhas. Os retrovírus contêm cadeias simples de RNA, enzima transcriptase reversa e produzem DNA tendo como modelo o RNA viral.

Câncer: Muitos retrovírus possuem genes denominados oncogenes, que induzem as células hospedeiras à divisão descontrolada com a formação de tumores cancerosos.


EXERCITANDO O CÉREBRO
01- (UNIVASF-JUNHO/2008)  Da tabela abaixo constam distintas doenças virais, juntamente com alguns de seus mecanismos de transmissão e de prevenção. A esse propósito, assinale a alternativa incorreta.



Doenças
Transmissão
Prevenção
a)
Hepatite A
Água ou alimentos contaminados pelo vírus
Saneamento básico, vacinação.
b)
Rubéola, sarampo e toxoplasmose
Gotículas eliminadas por tosse, espirro e fala.
Vacinação e fuga ao contato com doentes.
c)
Hepatite B
Transfusão de sangue, contato sexual, materiais contaminados
Evitar contágio por sangue e materiais contaminados e vacinação.
d)
Dengue e febre amarela urbana
Picada de mosquito Aedes aegypti.
Combate ao mosquito e vacinação (quando existente).
e)
Raiva
Mordedura por animais, principalmente, gatos e cães infectados pelo vírus.
Vacinação de animais transmissores.



02- (UFJF-JULHO/2003) Os vírus não são considerados células porque:
a) possuem somente um cromossomo e são muito pequenos.
b) não possuem mitocôndrias e o retículo endoplasmático é pouco desenvolvido.
c) não têm membrana plasmática nem metabolismo próprio.
d) parasitam plantas e animais e dependem de outras células para sobreviver.
e) seu material genético sofre muitas mutações e é constituído apenas por RNA.

03- (UEPB/2009) Sobre os vírus, podemos afirmar que:
a) a transmissão dos vírus das plantas ocorre exclusivamente por difusão mecânica, ou seja, quando uma pessoa manipula uma planta infectada e a seguir uma sadia.
b) são estruturalmente simples, sendo formados por uma ou mais cápsulas protéicas, que envolvem o DNA e o RNA, compondo o nucleocapsídeo. Alguns vírus apresentam ainda um envoltório externo ao nucleocapsídeo denominado envelope.
c) se reproduzem sempre no interior de uma célula hospedeira, exceto os bacteriófagos, por terem dois tipos de ciclos de replicação: o ciclo lítico e o ciclo lisogênico.
d) a infecção viral é específica, sendo esta especificidade decorrência do fato de que para um vírus penetrar em uma célula deve haver uma interação das proteínas virais com as proteínas receptoras existentes na membrana plasmática das células.
e) os retrovírus podem apresentar DNA ou RNA, mas obrigatoriamente apresentam a transcriptase reversa.

04- (UNIFAL/2008)  Os estudos sobre as formas de replicação dos vírus intensificaram-se nos últimos anos, objetivando encontrar meios mais eficientes de prevenção e tratamento de doenças virais nos seres humanos. Tais estudos têm demonstrado que existem diferentes tipos de vírus e diferentes formas de replicação. Os vírus de RNA de cadeia simples podem ser divididos em três tipos básicos, conhecidos como vírus de cadeia positiva, vírus de cadeia negativa e como retrovírus.
Com relação aos diferentes tipos de replicação dos vírus, analise as afirmativas abaixo.
I - Os retrovírus contêm cadeias simples de RNA, enzima transcriptase reversa e produzem DNA tendo como modelo o RNA viral.
II - Os vírus de cadeia negativa possuem RNA genômico com as mesmas seqüências de bases nitrogenadas dos RNA mensageiros (RNAm) formados. Dessa maneira, moléculas de RNA servem de modelo para a síntese de moléculas de RNA complementares à cadeia molde.
III - Os vírus de cadeia positiva possuem RNA genômico com seqüências de bases nitrogenadas complementares às dos RNAm formados. Desta maneira, moléculas de RNA servem de modelo para a síntese do RNAm.
IV - Os retrovírus contêm uma cadeia de RNA dupla hélice que serve de base para a transcrição do DNA necessário à replicação.
Marque a alternativa correta.
a) Somente II e III são corretas.
b) Somente IV é correta.
c) Somente I é correta.
d) Somente I, II e III são corretas.

05- (UFLA-JULHO/2006) O jornal Folha de São Paulo, em 6/4/2006, noticiou que a AIDS (em português: SIDA – síndrome da Imunodeficiência Adquirida), hoje em dia, já faz parte do grupo das doenças negligenciadas pelos países ricos. Estando 95% dos portadores dessa doença nos países pobres, o investimento em pesquisa é pequeno, ocasionando pouco avanço na descoberta de novos tratamentos.
Em relação a essa doença, afirma-se:
I- A doença é causada por vírus.
II- A doença provoca diminuição na produção de hemácias.
III- Os sintomas iniciais são característicos, contribuindo para o diagnóstico.
IV- A doença atua sobre o sistema imunológico, diminuindo a resistência do organismo.
De acordo com os conhecimentos atuais, assinale
a) Se apenas as afirmativas II, III e IV estão corretas.
b) Se apenas as afirmativas I e II estão corretas.
c) Se apenas as afirmativas I e III estão corretas.
d) Se apenas as afirmativas I e IV estão corretas.
e) Se apenas as afirmativas II e III estão corretas.

06- (UFES/2008) Das doenças abaixo, a que NÃO é causada por vírus é
a) Síndrome da Imunodeficiência Adquirida.
b) Dengue.
c) Tétano.
d) Influenza.
e) Raiva.

07- (UFScar/2006) "Nesta cidade, vacinação anti-rábica. Não deixe de levar seus cães e gatos".
A Vigilância Sanitária promove, ao longo do ano, campanha para a vacinação anti-rábica de cães e gatos. Nessas campanhas, as pessoas não são vacinadas porque
a) com os animais vacinados, é menor a probabilidade dos humanos contraírem a doença.
b) a raiva só ocorre em humanos quando contraída através da mordida de morcegos.
c) ainda não existe uma vacina específica para os humanos.
d) a raiva é uma doença exclusiva de cães e gatos.
e) já foram imunizadas com a vacina tríplice tomada quando criança.

08- (UFV/2004) Os vírus são parasitas intracelulares obrigatórios que realizam todas as fases do ciclo no interior de uma célula hospedeira. Sem contato com as células, as partículas virais são inertes e não apresentam atividade biológica aparente. Com relação aos vírus que infectam eucariotos, assinale a alternativa INCORRETA:
a) Alguns vírus são capazes de infectar células animais e vegetais, multiplicando-se em ambos os organismos.
b) Os vírus que infectam animais normalmente penetram na célula por meio de endocitose mediada por receptores.
c) A infecção de uma célula vegetal por vírus com genoma de DNA tem como desfecho a lise da parede celular.
d) Os retrovírus integram seu genoma ao genoma da célula e alguns estão associados à ocorrência de câncer.
e) Morcegos hematófagos e roedores são exemplos de vetores de vírus que infectam seres humanos.

09- (FGV/2009) CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA RUBÉOLA COMEÇA HOJE. HOMENS DE 20 A 39 ANOS SÃO O PRINCIPAL FOCO.
                                                                                                                   ("Folha de S. Paulo", 09.08.2008)
Na campanha promovida pelo Ministério da Saúde, embora homens e mulheres tenham sido chamados à vacinação, a ênfase foi para a vacinação dos homens adultos. Sobre isso, foram feitas as seguintes afirmações:
I. A rubéola, nos adultos, geralmente não é grave; caracteriza-se por febre baixa e pequenas manchas vermelhas no corpo, sintomas que desaparecem depois de alguns dias.
II. Quando a rubéola se manifesta em gestantes, principalmente nos primeiros meses da gravidez, pode acarretar a morte do feto, provocar malformações ou a surdez do bebê.
III. As mulheres são obrigatoriamente vacinadas quando dos exames pré-natal e por isso correm menor risco de contrair a rubéola, o que justifica não terem sido o principal foco da campanha de vacinação.
IV. A vacinação dos homens não é regular e, embora a rubéola não traga risco ao organismo do homem, obriga-os a faltar ao trabalho, o que justifica serem o principal foco da campanha de vacinação.
Pode-se dizer que estão corretas as afirmações:
a) I e II, apenas.
b) II e III, apenas.
c) I, II e III, apenas.
d) II, III e IV, apenas.
e) I, II, III e IV.

10- (UTFPR/2008) Em 25 anos o HIV matou 25 milhões de pessoas e está presente em outros 40 milhões. É a segunda doença infecciosa que mais faz vítimas no mundo, logo atrás da tuberculose. Em 2005, 3 milhões de pessoas morreram devido a AIDS; dessas vítimas, 570 mil eram crianças. Dentre as características biológicas citadas a seguir a única que pode ser encontrada no vírus da AIDS é:
a) parede celular formada por substâncias mucocomplexas.
b) DNA de fita simples.
c) pequenos anéis de DNA, os plasmídeos, dispersos no capsídeo.
d) membrana externa lipoprotéica.
e) enzima especial, a transcriptase reversa, para produzir DNA.

11- (PUC-RJ/2008)  A dengue continua sendo um problema de saúde pública para o Estado do Rio de Janeiro. Assim, conhecendo-se o causador da dengue e seu vetor, podemos usar como medidas profiláticas a:
a) vacinação em massa da população contra a bactéria causadora dessa doença.
b) exterminação de ratos vetores do vírus causador dessa doença.
c) eliminação dos insetos vetores da bactéria causadora dessa doença.
d) eliminação dos insetos vetores do vírus causador dessa doença.
e) distribuição de antibióticos contra a bactéria causadora dessa doença.

12- (UFJF-JULHO/2003) Os vírus não são considerados células porque:
a) possuem somente um cromossomo e são muito pequenos.
b) não possuem mitocôndrias e o retículo endoplasmático é pouco desenvolvido.
c) não têm membrana plasmática nem metabolismo próprio.
d) parasitam plantas e animais e dependem de outras células para sobreviver.
e) seu material genético sofre muitas mutações e é constituído apenas por RNA.

13- (UFC/2008) A Inglaterra anunciou que meninas entre 12 e 13 anos poderão receber vacina contra o HPV (papilomavírus humano), que causa grande parte dos tipos de câncer do colo do útero, além do condiloma acuminado. Com base nessa informação, responda ao que se pede.
a) Cite dois métodos que podem impedir a contaminação por essa doença e ao mesmo tempo evitar uma gravidez não planejada.
Preservativo masculino / preservativo feminino / abstinência sexual.
b) Considerando a diversidade de opção sexual, vacinar apenas indivíduos do sexo feminino será uma medida eficaz para acabar com a transmissão da doença condiloma acuminado na população? Justifique.
Não, pois casais homossexuais masculinos que se relacionam sem preservativo podem transmitir e/ou contrair o HPV.
c) A descoberta e a utilização de uma vacina para uma determinada doença é um grande avanço para a saúde pública. Porém, além das vacinas existe também o soro como forma de imunizar a população. Qual a diferença entre vacina e soro e qual é o mais indicado para uma situação na qual o antígeno já está no organismo?
A vacina contém o antígeno em forma atenuada, enfraquecido, ou com microorganismos mortos.Tem função preventiva.
Já o soro contém os anticorpos e tem ação curativa.

d) O HPV é um vírus, e os vírus não são considerados como seres vivos por muitos cientistas. Qual a principal justificativa para não se considerar vírus como um ser vivo?
A ausência de célula.

14- (UFRJ/2009) O herpes genital é uma doença infecciosa causada pelo vírus HSV-2, geralmente transmitido por meio de relações sexuais. Quando um médico detecta o HSV-2 em uma mulher grávida, costuma recomendar que o parto seja realizado por cesariana, uma intervenção cirúrgica que extrai o feto diretamente do útero.
Apresente a razão desse cuidado.
A cesariana evita o contato, que provavelmente aconteceria no parto normal, do recém-nascido com o tecido infectado pelo vírus HSV-2.
PROFESSORA ROSANE SANTOS

3 comentários:

  1. kamilaa 16 de maio de 2013 10:20
    obg foi mt util.

    ResponderExcluir
  2. Por favor, eu preciso da explicação das questões 4 e 8. Agradeço muito se me responder, será uma grande ajuda. Abraços.

    ResponderExcluir